Meu Diário
27/06/2009 10h18
Espaço novo-36 - Estrofe da semana

Versos extraídos de um poema de vinte estrofes

Eu falei sobre a caçada
em que o homem corajoso
tocaia de madrugada
andando silencioso;
passa serras, sobe morros,
seus amigos são cachorros,
espingarda e munição;
e seu abrigo, os vegetais.
-Ele disse: Fale mais
das coisinhas do sertão.

Eu falei sobre o vaqueiro
e sua fama também,
pois seu perfume é o cheiro
que a ponta da rama tem;
seu transporte é o cavalo;
seu musical, o badalo
e o berrar da criação;
seus amigos, animais.
-Ele disse: Fale mais
das coisinhas do sertão.


Publicado por Pedro Ernesto Filho em 27/06/2009 às 10h18
 
20/06/2009 09h45
Espaço novo-35 - Estrofe da semana
Mote em sete sílabas extraído de um poema de dez estrofes

 Estou com muita esperança / na volta do algodão.


Existe terra abundante
e mão-de-obra favorável,
no céu, um DEUS formidável
que manda chuva bastante;
só se aguarda o grande instante
de os líderes da região
cumprirem sua missão
em vez de tanta lambança
-Estou com muita esperança
na volta do algodão.

 

Publicado por Pedro Ernesto Filho em 20/06/2009 às 09h45
 
13/06/2009 07h18
Espaço novo-34 - Estrofe da semana
Mote em sete sílabas extraído de um longo poema

Em tapete de veludo / também se tropeça e cai.















O político prepotente
se arvora no poder,
faz tudo o que quer fazer
e esquece de sua gente,
vai às urnas novamente
pensando que sobressai,
porém eleito não vai
que o povão lembra de tudo
-Em tapete de veludo
também se tropeça e cai.
 
  
 

Publicado por Pedro Ernesto Filho em 13/06/2009 às 07h18
 
06/06/2009 20h27
Espaço novo-33 - Estrofe da semana

Não desenhe a natureza / com sangue dos animais

      
 (versos extraídos de um poema de dez estrofes)




Deixe a juriti cantar,
o sagui se divertir,
a mata tosca florir
e a fogo-pagou voar,
deixe a nascença jorrar
e o pavão ter seus rivais,
deixe a flor cor de lilás  
exibir sua beleza
- Não desenhe a natureza
com sangue dos animais. 
  
Se quiser ter bom porvir:
deixe o sapo coaxar,
preá se multiplicar
e o predador competir,
a abelha produzir
delícias medicinais,
caranguejo andar pra trás
e o cancão fazer proeza
- Não desenhe a natureza
com sangue dos animais. 
 

Publicado por Pedro Ernesto Filho em 06/06/2009 às 20h27
 
30/05/2009 16h45
Espaço novo-32 - Estrofe da semana
O milho é a salvação / da família brasileira
(extraído de um trabalho de dezesseis estrofes)




Se a palha tem nutrição
para o rebanho bovino,
o sabugo grosso ou fino
também tem sua função;
o colmo gera invenção
que serve de brincadeira,
com isso a prole campeira
desenvolve o artesão
- O milho é a salvação
da família brasileira.
 
O milho deixa restolho
para nutrir animal
que ministrado com sal
afasta mosca e piolho,
se for botado de molho
é bom pra vaca leiteira,
passado na forrageira
supera qualquer ração
- O milho é a salvação
da família brasileira.
 

Publicado por Pedro Ernesto Filho em 30/05/2009 às 16h45



Página 7 de 14 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]