Meu Diário
12/09/2009 09h45
Espaço novo-46 - Estrofe da semana
Eu receitei um poeta
na mesa de cantoria,
dei três injeções de versos,
dez kacheets de poesia,
quarenta gotas de rima:
três vezes durante o dia.

Publicado por Pedro Ernesto Filho em 12/09/2009 às 09h45
 
06/09/2009 08h08
Espaço novo-45 - Estrofe da semana
Ao retornar de Exú-PE, após assistir a um belíssimo show de "Os Nonatos" 





Exú foi buscar seu nome
na nação dos Carirís,
o vento do Araripe
por ali passa feliz
assobiando as canções
da sanfona de Luiz
.

 

Publicado por Pedro Ernesto Filho em 06/09/2009 às 08h08
 
29/08/2009 07h09
Espaço novo-44 - Estrofe da semana
Versos extraídos da segunda parte do discurso (composta de dezoito estrofes), quando o autor foi homenageado, em 2008, como paranainfo da turma de Letras - Especialização em Língua Portuguesa, pela UVA - Universidade do Vale do Acaraú.  Naquela ocasião, o autor enfocou o poderr da PALAVRA.

O poder da palavra é expressão
que define o valor do ser humano,
recomeça o viver cotidiano
ensinando a agir pela razão,
que desperta no homem a vocação
transgredindo a coragem e o talento,
como diz o sagrado testamento:
o pastor arrebanha com aboio, 
a criança chorando pede apoio
e uma mãe ao olhar cura o lamento.
 
Com respeito se salva um juramento,
com conselho se faz alguém feliz,
com um gesto responde o que outro diz,
com trabalho se muda um pensamento,
com idéia se eleva um argumento,
com esforço se altera um resultado,
com memória resgata-se o passado
com poesia o poeta constrói verso
com palavra Deus fez o universo
e com um grito o Brasil foi libertado.

Publicado por Pedro Ernesto Filho em 29/08/2009 às 07h09
 
22/08/2009 15h04
Espaço novo-43 - Estrofe da semana

Mote decassílabo sugerido pelo poeta Ademar Macedo,
de Natal-RN.

Não tem mais Lampião e nem cangaço // mas tem gente pior que Lampião.


Há quem queime um indígena na calçada,
há quem jogue um menor pela janela,
há quem cobre propina na cancela,
há quem mate um cristão sem dizer nada,
há quem venda sentença adulterada,
há quem fraude a melhor licitação,
há quem troque a moral por um milhão,
há quem trate o povão como palhaço
-Não tem mais Lampião e nem cangaço
mas tem gente pior que Lampião!

Quanta gente fraudando a previdência,
tanta máfia exaltando o nepotismo 
tanta luta empanada de egoísmo,
tantos líderes surfando a violência,
pacientes perdendo a paciência
por faltar-lhes do médico a atenção,
o escândalo recente do cartão
coroou as mazelas do fracasso
-Não tem mais Lampião e nem cangaço
mas tem gente pior que Lampião!


Publicado por Pedro Ernesto Filho em 22/08/2009 às 15h04
 
15/08/2009 19h51
Espaço novo-42 - Estrofe da semana
Versos extraídos de um longo poema escrito em 1984

Mote: O Nordeste enxugou a sua face / com o lenço felpudo de algodão.

Com as safras agrícolas deste ano
acabou-se a história de PROAGRO,
não se vê, no sertão, mais gado magro,
o roceiro saiu do desengano
e até mesmo o governo criou plano
de aumentar as receitas da Nação
com impostos que vêm da produção
que há dez anos não tinha quem pagasse
- O Nordeste enxugou a sua face
com o lenço felpudo de algodão.       

Publicado por Pedro Ernesto Filho em 15/08/2009 às 19h51



Página 5 de 14 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]